Utilizar whatsapp para atendimento pode ser uma boa idéia

Segundo a Nielsen em parceria com a Mobile Marketing Association o whatsapp já tem mais de 430 milhões de usuários e isso fez com que empresas utilizassem essa ferramenta para interagir com os clientes de uma forma mais simples e rápida.

Hoje o whatsapp é utilizado no atendimento de muitas empresas e várias outras empresas estão aderindo a essa ferramenta. Um exemplo prático é a Sex shop só Prazer e Cia. Esse recurso recém-descoberto pelas organizações melhora bastante o relacionamento com o cliente além de aumentar a fidelização.

Forma correta de utilizar o whatsapp

Antes de qualquer coisa você deve ter o aplicativo instalado no celular com acesso a internet.

O Whatsapp diferente das redes sociais, possui características muito próprias e exige que o empresário faça uma adaptação de estratégia e conteúdo.

Como qualquer outra ferramenta de marketing existe a forma correta de utilizar e um dos principais cuidados é certificar-se que sempre existirá alguém para ler e responder as mensagens. Também é importante não misturar contatos pessoais e deixar um número exclusivo para o atendimento da empresa.

É muito importante salientar que ao optar por mais essa ferramenta de relacionamento na empresa o empresário deve ter a consciência que clientes que geralmente utilizam outras formas de contato podem migrar fazendo com que sobrecarregue o atendimento pelo whatsapp; por isso é importante se preparar para atender na quantidade e no tempo em que o whatsapp exige.

Horários de atendimento

É muito importante que o horário de atendimento pelo whatsapp seja bem explícito, seja no site ou nas redes sociais, para que o cliente ao entrar em contato saiba que a resposta somente virá no horário exibido e não gerar qualquer reclamação sobre a demora na resposta.

Empresas investem em jogos online como forma de publicidade e marketing

As empresas descobriram mais uma forma muito interessante de marketing. Cada vez mais empresas do mundo inteiro utilizam jogos online como ferramenta para divulgação da marca, treinamento e até recrutamento de pessoal. E ao que parece está dando certo, pois cada vez mais empresas aderem a esta opção.

Playstation, Wii, Xbox e jogos eletrônicos em geral tem um grande público em todo o Brasil. Estes jogos podem ser encontrados nas mais variadas lojas de entretenimento, em casa, em Cybercafés e Lanhouses.

De acordo com uma pesquisa recente da F/Nazca jogos eletrônicos estão presentes no dia-a-dia de 4 em cada 10 brasileiros. Esse público está atraindo muitas empresas, que pretendem investir pesado na “gameficação” online como forma de publicidade e marketing.

O investimento necessário para uma ação desse tipo se inicia em R$ 10 mil e pode chegar até R$ 120 mil. As grandes empresas são as que mais investem principalmente por causa do valor da criação de uma campanha assim.

Usar jogos online em publicidade e marketing já é uma prática bastante comum entre as empresas de grande porte. Mas agora estão utilizando também como ferramenta de recrutamento e treinamento de pessoal.

Jogos como forma de publicidade na internet não são uma novidade já que há um bom tempo, grandes empresas focadas em produtos para o público jovem já utilizavam com joguinhos de tabuleiro e quiz. A diferença é que agora esses jogos estão se popularizando e evoluindo.

Se utilizados de forma correta os games podem ajudar tanto nas vendas como também para melhorar a relação entre clientes e funcionários. O fato é que utilizar jogos corporativos é uma ótima iniciativa, embora não seja acessível a todas as empresas devido ao valor do investimento.

Fonte: Revista PEGN (11/2011)

Adobe acredita que ainda exista mercado para o flash

Lembro de uma época em que efeitos em flash me encantaram. Pra mim era a coisa mais maravilhosa de todas. Criei meu site pessoal, sozinho pois já conhecia o mínimo de html e criei um slide em flash. Meus olhos brilhavam toda vez que eu olhava para aqueles efeitos.

De um dia para o outro comecei ouvi falar em SEO. Descobri que o SEO é um conjunto de fatores responsáveis por ranquear o site nos buscadores. Pra minha infelicidade também fui descobrindo que sites em flash não eram bons para o SEO. Foi neste mesmo perí­odo que comecei a conhecer slides em Jquery.

Uma das grandes vantagens que o flash proporcionou, além do impacto visual nos efeitos foram também todas as facilidades que o Action Script oferecia. O flash sempre foi muito poderoso e possui um efeito visual fantástico.

Mas sempre teve uma dificuldade com o SEO. Eu mesmo nunca vi um site desenvolvido 100% em flash entre as primeiras posições da busca orgânica do Google.

O outro ponto fraco do flash sempre foi a velocidade de carregamento. Tentar navegar em um site desenvolvido em flash parece é uma tarefa árdua, ou melhor quase impossível, principalmente para quem utiliza internet lenta.

Com a chegada do HTML5 o flash realmente foi deixado de lado por uma grande parte dos desenvolvedores que já vinham abandonando gradativamente de certa forma o flash para trabalhar com outras tecnologias viáveis ao SEO.

O HTML5 deixou o flash ainda mais sem saída. Mas diante disso tudo o mais surpreendente é que a Adobe informou que não desistirá da plataforma pois acredita que ainda há mercado para ela.

A empresa ainda acredita que, mesmo com o html5 o flash sobreviverá a dois mercados. Um deles é o desenvolvimento de jogos o outro é o de serviços premium de vídeo, aquele que precisam de arquivos criptografados.

A adobe tem muitos planos para o flash nos próximos anos e é bem provável que ela também tenha em mente fazer alterações na linguagem de programação usada para o desenvolvimento de aplicativos flash. Tornando o flash mais interessante para o SEO. Pelo menos não custa nada esperar isso.

Melhorada a questão do SEO e do tempo de carregamento é bem provável que o flash ainda seja muito utilizado no desenvolvimento web. Pois efeitos como como os do flash nunca conseguirão.